O BRASIL, O MUNDO E NÓS

por Artemis Zamis

O mundo de joelhos diante da maior pandemia já vista depois da gripe espanhola de 1918, entidades renomadas de saúde buscando freneticamente uma possível cura ou uma vacina capaz de evitar a catástrofe que pode ser ainda maior que a peste negra e a gripe espanhola, autoridades e chefes de estado tomando medidas severas para conter a propagação do vírus e consequentemente minorar o atendimento hospitalar para os que a todo instante chegam infectados, e o nosso presidente Bolsonaro sapateando, tripudiando e debochando do povo, da pandemia e da vida de todos nós.

Na Alemanha a Primeira Ministra Ângela Merkel decreta o distanciamento social, identificação precoce de casos, proteção aos trabalhadores e organização do sistema de saúde para receber pacientes, entre outras medidas, para conter a pandemia e está entre os países com menos casos até o presente momento.

Bolsonaro tenta decretar o fim do isolamento e faz campanha pra que as pessoas voltem a trabalhar.

O Americano Donald Trump, Giuseppe Conte da Itália, Lopes Obrador do México e Vladimir Putin da Rússia, voltaram atrás e decretaram isolamento social e fechamento ou restrições de seus espaços aéreo.

No Brasil, Bolsonaro fala em entrevista que “O vírus tá aí, sabe que muitas pessoas vão morrer infectadas, mas que todo mundo um dia vai morrer mesmo…”.

Na Índia, o primeiro-ministro Narendra Modi decreta o maior confinamento de pessoas da história, ordenando para que todos fiquem em casa por 21 dias, podendo ser prorrogado caso necessário. A Índia é o segundo país mais populoso, com 1,3 bilhão de habitantes.

Por aqui, Bolsonaro, sai as ruas em um passeio matinal, cumprimentando pessoas, contando histórias nos botecos, farmácias em meio a aglomerações, proibidas pela OMS e incentivando acintosamente para que as pessoas voltem ao trabalho pelo bem da economia do país.

A Itália tem até hoje, 100 mil casos, com 11 mil mortes pelo Covid-19 e os enterros são feitos em comboios de caminhões do exercito com as famílias totalmente distantes de seus entes queridos sem poder lhes dar um último adeus.

Aqui, o presidente sustenta enfaticamente que a volta ao trabalho é essencial para que as pessoas não percam seus empregos e que um homem dentro de casa sem prover os alimentos, vai provocar brigas no casal e isso tem contribuído para que as mulheres estejam apanhando de seus maridos.

Amigos, expus alguns desses horrores acima, para que façamos uma reflexão do que realmente precisamos e queremos para o nosso país. Não é nenhum pouco razoável que ouçamos tantas bizarrices de um presidente e seus asseclas e fiquemos inertes, petrificados como estátuas. Nosso presidente é alheio a qualquer enfrentamento com o contraditório e com quem pensa diferente. Isso se explica pelo seu raso conhecimento em qualquer assunto, por mais elementar que seja, seu intelecto pequeno e virtudes nada pertinentes ao importante cargo que ocupa.

Seu comportamento é bizarro. É vergonhoso como o mundo o percebe. Importantes jornais do mundo todo o tratam como um negacionista irresponsável que compromete a vida das pessoas e um país inteiro.

A BBC, neste domingo, publicou artigo onde afirma que Bolsonaro insiste em não levar a pandemia a sério, insistindo em seu negacionismo.

A “The Economist”, uma das mais importantes revistas do mundo, chamou o presidente do Brasil de “BolsoNero” – o ultimo imperador romano, tido como um tirano extravagante que, segundo a história, iniciou um incêndio para construir um palácio.

Algo real, rápido e eficaz terá que ser feito, para que tenhamos preservada nossas vidas e de nossos familiares. Não é por politica ou ideologia, não é por economia, não é por cultura, não é por religião. É pela vida.  Precisamos de atitude para que seja defenestrado de seu cargo e que seja posto em seu lugar aquele que constitucionalmente deverá ocupa-lo. A democracia dirá se fica ou não. Mas por agora está definitivamente provado que este que por hora ocupa o executivo não está a altura do cargo. Urge que as instituições o detenham, pelo bem do país e pelo bem estar de todos.

Vivemos uma dicotomia, onde de um lado está fincado o ódio cujas raízes crescem em uma velocidade assustadora, comprometendo o que sempre tivemos de melhor que são nossa alegria, nossas amizades, nosso prazer na vida e de nossa solidariedade.                

O Brasil está em nossas mãos.

5 comentários em “O BRASIL, O MUNDO E NÓS”

    1. Texto que traz pontos importantes de reflexão para o grave momento que vivemos e o que vamos fazer daqui para frente.
      O Brasil não suportará muito tempo mais ser governado por um idiota perigoso.

  1. Texto preciso sobre o momento que atravessamos. São dois os nosso inimigos: o vírus e o presidente. O segundo agravará o primeiro.

    1. Texto elegante com pontos centrais sobre o grave momento que vivemos, ao tempo que nos provoca a pensar o que vamos fazer daqui para frente.
      O Brasil não suportará muito tempo mais ser governado por um idiota perigoso.

  2. Olá Artemis! Está claro o descaso que esse governante tem para com o trabalhador, com os que estão no mercado de trabalho e com os que estão fora dele. O momento é de dar Assistência, mostrar um Estado forte que dê mais importância ao povo do que à economia , nesse momento. A economia se recupera, haverá outras crises, mas a vida e sua garantia é fundamental, é Constitucional. (@LeiaOrganaPT)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *